17/05/2019

Em assembleia, trabalhadores da UFSC traçam próximos passos da luta

Em assembleia geral realizada na tarde desta sexta-feira (17/05) os trabalhadores técnico-administrativos em Educação da UFSC fizeram uma longa avaliação sobre o tsunami que tomou as ruas do País – a UFSC e Florianópolis não ficaram de fora – na última quarta-feira (15/5) contra os cortes na Educação anunciados pelo governo do presidente Bolsonaro. Os trabalhadores aprovaram a realização de uma nova assembleia no dia 23, quinta-feira da próxima semana para seguir avaliando as estratégias de luta e escolher os delegados à plenária nacional da Fasubra, prevista para os dias 8 e 9 de junho em Brasília. De antemão aprovaram a adesão à paralisação no dia 30 de maio que vem sendo articulada pelos estudantes e outras entidades para retomar a luta contra os cortes.

Foi aprovada também a adesão à greve geral de 14 de junho que vem sendo convocada pela Fasubra e outras centrais sindicais contra a reforma da Previdência. O consenso foi no sentido de que a categoria deve se organizar para fortalecer ainda mais o movimento em torno da luta contra os cortes de verbas, com a chamada a outros temas caros à classe dos trabalhadores, como a votação da reforma da Previdência, que vai endurecer as regras para obter a aposentadoria. A mesa da assembleia foi coordenada por Celso Ramos Martins e Ricardo Egídio da Rocha, ambos da coordenação geral do SINTUFSC.

Foi reforçada a importância da participação dos trabalhadores na audiência pública da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados a ser realizada no campus da UFSC. Prevista para as oito e meia da manhã da próxima segunda-feira (20/5), o evento vai abordar a crise nas instituições públicas de ensino. O seminário “A Situação das Universidades e Institutos Federais a partir do Bloqueio do Orçamento proposto pelo Ministério da Educação” foi proposto pelos parlamentares da bancada catarinense em Brasília e será realizado no auditório Garapuvu, no Centro de Eventos da Universidade.

O presidente da Apufsc Sindical, professor Bebeto Marques, usou da palavra no início da assembleia para uma breve avaliação do movimento unificado da última quarta e destacar o fortalecimento da luta com a unidade na prática obtida pelas entidades representativas. Reforçou a importância do respeito às diferenças e particularidades de cada uma delas para os resultados da luta em defesa da Universidade.

Outras notícias

Eu sou a UFSC

elza

Elza de Sousa

Elza de Sousa, 62 anos, é natural de Florianópolis e sempre viveu na ilha. Nascida na casa da mãe em uma época em que as parteiras eram mais atuan + Mais

Vida nova na UFSC

renata

Renata Janh Werlich Coelho

Nascida em Florianópolis e criada em São José, Renata Janh Werlich Coelho, 26 anos, é funcionária da UFSC há cerca de dois anos e meio. Atualmen + Mais
Sintufsc

sintufsc © todos os direitos reservados

Siga-nos:
Agência WEBi