Danilo José dos Santos

daniloNascido e criado em Florianópolis, Danilo José dos Santos, hoje com 52 anos, tem uma ligação bem forte com a UFSC. Nativo do bairro Trindade, brincou na infância na Fazenda Assis, área onde hoje é o campus da universidade.
Estudou o primário no colégio Olívio Amorim, onde hoje é o DAE. O segundo grau estudou na escola Simão Hess. Nessa época Danilo nutria o sonho de ser jogador de futebol. Chegou a jogar nos times da capital, no Avaí e no Figueirense. Enquanto isso, foi contratado pela Assufsc, a associação dos trabalhadores da universidade, que depois transformou-se no sindicato, onde ficou por dez anos.
Foi contratado como officeboy. Depois trabalhou como motorista, fazendo as voltas de entrega de documentos. “Foi quando comecei a pensar que não podia mais ficar parado, naquela situação. Comecei a estudar novamente, conclui o segundo grau e entrei na faculdade.
Danilo fez a graduação em geografia na UFSC, se formando em 1992. “E agora, depois de velho, estou fazendo especialização em gestão de pessoas”, fala orgulhoso da iniciativa de continuar os estudos.
Conta que na década de 80, os salários da instituição eram muito baixos e que ninguém queria trabalhar na UFSC, “muitos dos nossos amigos saíram. Se ganhava mais trabalhando no supermercado. Fiquei por insistência”. O trabalhador fala que a UFSC cresceu muito desde o tempo em que entrou. “Vários prédios foram construídos. Tinha uma amizade bem legal com as pessoas. Sou conhecido pelos colegas por causa do futebol”.
Casado, pais de três filhos, Danilo conta que sempre gostou de botar a mão na massa. “Construí minha casa, sempre me dediquei a construção por isso não tive muita dedicação a faculdade”. Mas é um entusiasta do estudo. “Estudar abre a mente e melhora a relação com as pessoas, torna a pessoa mais calma, mais coerente”.
Atualmente Danilo é lotado na secretaria do banco de sangue do HU. Passou pela editora da UFSC. “A universidade é muito importante não só para o crescimento aqui do bairro e da cidade. Com os cursos oferecidos para a comunidade a UFSC acaba se estendendo pelo Estado e pelo país”.
Danilo é contra a privatização dos serviços públicos, porque eles são voltados para a comunidade. “Os doadores de sangue do HU são moradores da região, na maioria alunos, que atendem os moradores da região e do Estado por isso é muito importante que esses serviços permaneçam gratuitos e de qualidade”.

Eu sou a UFSC

Jpeg

Atayde Ratti

Atayde Antônio Ratti, este trabalhador da UFSC de 58 anos é formado em Agronomia na própria universidade em 1987, de onde saiu para seu primeiro em + Mais

Vida nova na UFSC

renata

Renata Janh Werlich Coelho

Nascida em Florianópolis e criada em São José, Renata Janh Werlich Coelho, 26 anos, é funcionária da UFSC há cerca de dois anos e meio. Atualmen + Mais
Sintufsc

sintufsc © todos os direitos reservados

Siga-nos:
Agência WEBi