Caroline Vidal Cabezas

carolineCaroline Vidal Cabezas reside em Florianópolis há dez anos. Nasceu e passou a infância em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e a cerca de um ano trabalha na UFSC.
Teve uma infância boa na capital gaúcha. Estudou, brincou e teve muitos amigos. Chegou em Santa Catarina em 1999 com a família. Inicialmente moraram no continente e depois se mudaram para a Vargem Grande onde moram até hoje.
Já em Florianópolis fez graduação na UFSC, no curso de secretariado executivo. “Sempre estagiei em empresas durante a faculdade. Estava na sexta fase quando fiz o concurso da universidade. Em janeiro de 2010, quando recebi o telegrama falando da minha convocação, nem acreditei. Nem lembrava mais do concurso”.
A trabalhadora entrou no cargo de secretária executiva na coordenadoria do curso de Física, em seguida foi para o departamento de Ciências Contábeis. Ela diz que ainda está se adaptando ao ritmo do serviço público. “Trabalhei muito tempo em empresas. Aqui na universidade é diferente. Mas o lado bom é que as pessoas são mais amigas, existe uma amizade entre os colegas. Nas empresas não tem isso”.
No departamento, Caroline atua no atendimento aos professores, assessorando as chefias dos departamentos fazendo os documentos necessários e também no atendimento aos alunos. “Faço os trabalhos de secretaria como memorandos, ofícios, atas, etc”. Ela conta que em 2008 a UFSC começou a chamar profissionais do secretariado para atuar junto à instituição. “No início chamaram uma, depois chamaram mais 19. Acho que a universidade está percebendo o valor deste profissional, reconhecendo o nosso trabalho”.
Depois que iniciou o trabalho na universidade, Caroline entrou em uma pós-graduação na área de secretariado. “Vou concluir este curso neste ano e ainda não sei se vou fazer um mestrado pois vejo que não tenho jeito para sala de aula mas na questão financeira o mestrado auxilia. É uma coisa que ainda não decidi se vou continuar estudando”.
Agora fazendo parte da equipe de trabalho, ela vê a instituição de modo diferente. “Como aluna eu vi a UFSC de um jeito. Agora trabalhando, vendo por dentro, vejo como tem coisas boas que os alunos reclamam e também coisas que precisam melhorar como a atenção ao servidor”.
Caroline vê que a universidade tem uma atuação bem presente na comunidade. “Sempre vejo nos jornais sobre cursos oferecidos à comunidade, tem os cursos à distância, pós-graduação à distância e muitas vezes nem chega a completar o número de vagas. Em Porto Alegre não via isso na universidade, essa proximidade com a comunidade”.
Sobre o Sintufsc, a servidora ainda não se filiou porque diz estar ainda conhecendo o trabalho do sindicato. “Vejo que são bem atuantes mas ainda estou observando as atividades”.

Eu sou a UFSC

otavio

Otávio Pereira

Otávio Pereira, 49 anos, é natural de Florianópolis, nascido e criado no Morro da Descoberta.Teve uma infância de muita dificuldade. Irmão mais n + Mais

Vida nova na UFSC

eduardo

Eduardo de Almeida Isoppo

Eduardo de Almeida Isoppo saiu de Criciúma aos 18 anos de idade e prestou vestibular para o curso de Física, na UFSC. Passou, em 2001, e frequenta a + Mais
Sintufsc

sintufsc © todos os direitos reservados

Siga-nos:
Agência WEBi