13/05/2020

UFSC CRIA COMITÊS DE AVALIAÇÃO SOBRE PANDEMIA

Na data de ontem, dia 11 de maio, a Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina publicou a Portaria Normativa nº 360/2020/GR, que dispõe sobre as “normas e os procedimentos para a constituição e o funcionamento do Comitê de Combate à Pandemia do COVID-19 na Universidade Federal de Santa Catarina”.

Esta portaria já circulava, sob forma de minuta, por colegiados e conselhos da Universidade havia duas semanas, e cria 7 comitês e subcomitês com a finalidade de “propor, coordenar e executar ações voltadas ao acompanhamento da pandemia e apresentar […] medidas de restabelecimento e funcionamento da UFSC ao longo e após as situações geradas pela pandemia do COVID-19”.

A despeito de não concordarmos com a forma com que este assunto tem sido encaminhado pela Reitoria da UFSC – em breve apresentaremos, noutro documento, nosso entendimento sobre o assunto – faz-se necessário explicitar para a comunidade da Universidade Federal de Santa Catarina, em especial os Técnicos-Administrativos em Educação, nosso intransigente posicionamento contrário ao retorno das atividades presenciais da Universidade.

É inconcebível que, num momento em que a epidemia se alastra pelo país, tendo superado a marca de 10 mil mortos, segundo os números oficiais, e a possibilidade de alcançarmos, na próxima semana, a terrível marca de mil mortos por dia, setores da universidade se movam para ocultar a realidade em que nos encontramos e defendam algum tipo de volta à normalidade. Esses números não são fruto do acaso: são consequência direta do relaxamento das políticas de distanciamento social, impetradas por todas as esferas de governo: municipal, estadual e federal.

Esperamos da Administração Central da Universidade uma posição clara e taxativa contra o retorno das atividades presenciais enquanto não houver garantia de manutenção da saúde dos trabalhadores, estudantes e comunidade em geral e a curva de contágio apresentar tendência ascendente.

Não retomar as atividades nessas condições é um ato de respeito a vida dos trabalhadores da universidade, a nós TAES. E também um ato solidário a todos os trabalhadores catarinenses que atuam em trabalhos indispensáveis como na saúde e no abastecimento, no setor elétrico, bem como com todos aqueles que não tem escolha neste momento e precisam romper o isolamento.

O retornos das atividades da UFSC aumentam as possibilidades de contágio para nós e para todos os trabalhadores.

Sendo a UFSC uma gigante, não só nas cidades de Florianópolis, Araranguá, Blumenau, Curitibanos e Joinville, mas também em Santa Catarine e no Brasil, mais do que nunca faz-se necessário reafirmar a Universidade como instituição vinculada à ciência e aos cuidados com o bem-estar do povo, firmando-se como instituição-modelo na proteção da vida da população.

Não aceitaremos que brinquem com a saúde e a vida dos trabalhadores! Não é hora da UFSC retornar às atividades presenciais!

Sintufsc, 12 de maio de 2020.

Outras notícias

Eu sou a UFSC

abilio

Abílio Neves de Anselmo

Abílio Neves de Anselmo, nasceu em Florianópolis em uma época onde a capital era mais tranquila e simples. Cresceu no bairro Pantanal, ao lado da u + Mais

Vida nova na UFSC

patrick

Patrick Gaspareto

Patrick Gaspareto tem 31 anos, é solteiro e natural de Novo Hamburgo – Rio Grande do Sul. Formado em farmácia pela PUC – Pontifícia Univers + Mais
Sintufsc

sintufsc © todos os direitos reservados

Siga-nos:
Agência WEBi