13/08/2019

Trabalhadores da UFSC aquecem para manifestação no Centro

Os trabalhadores técnico-administrativos em Educação da UFSC fizeram um esquenta no início da manhã desta terça-feira (13/8) para as manifestações do dia de greve geral da Educação contra os cortes promovidos pelo Governo Federal no ensino público no País e que já alcançam R$ 1 bilhão e 700 milhões. O vento frio que soprava em frente ao prédio da Reitoria foi amenizado pelo café quente e salgadinhos oferecidos pelo SINTUFSC aos servidores e estudantes que passaram pela tenda montada pela entidade. À tarde a participação acontece no Centro da Capital.

O coordenador geral do sindicato, Celso Ramos Martins, falou sobre o caos que paira sobre as universidades públicas diante dos cortes orçamentários e que ameaçam o funcionamento e mesmo a continuidade do segundo semestre letivo nas instituições públicas de ensino do País. Lembrou os problemas causados com as demissões de trabalhadores terceirizados no âmbito da UFSC, muitos atuando nos cargos extintos pelo Governo em diversas áreas da Universidade, como segurança, limpeza e manutenção.

“Infelizmente temos que lamentar a ação das entidades representativas, como a Fasubra e as centrais sindicais, que deixaram de fazer a luta em Brasília, facilitando a vida do Governo. As recentes medidas contra os trabalhadores como a reforma da Previdência, foram aprovadas todas sem que houvesse um ato sequer em frente ao Congresso para tentar barrar o projeto”, criticou.

Outras notícias

Eu sou a UFSC

Vida nova na UFSC

Sintufsc

sintufsc © todos os direitos reservados

Siga-nos:
Agência WEBi